sexta-feira, 10 de agosto de 2012

As distrações e seus perigos

ATT374287

Existe algo que temos muitas vezes ignorado em nossa vida com Deus, que pode de uma forma nos afastar drasticamente dos caminhos do Senhor. A distração é nada mais nada menos que desviar a atenção de algo; desatenção. Quantas vezes nós já ouvimos notícias de um assalto, ou um acidente onde a pessoa diz que se distraiu e acabou ocorrendo a tragédia? Com nossa vida espiritual é a mesma coisa. Enquanto estamos olhando para o Senhor, qualquer ação que o inimigo queira executar contra nós é frustrada, pois, estamos junto a Deus, Seus anjos estão ao nosso redor e as “tempestades” desse mundo não consegue tirar nossos olhos do Senhor. Mas se por um momento resolvermos olhar ao nosso redor para nos “distrair um pouco”, somos expostos a inúmeros perigos.
Como podemos comprovar isso? Pedro nos adverte em sua primeira carta para sermos “sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar…” (1 Pedro 5:8).
A sobriedade se opõem a distração e ser vigilantes nos livra dos perigos do inimigo.

Um exemplo perfeito disso encontramos em 2 Samuel 11, onde o rei Davi, por um descuido acabou cometendo adultério e consequentemente um assassinato. “Como isso? O reino já estava confirmado em suas mãos, ele já tinha tudo o que queria… por que?”, podemos pensar inúmeras vezes, mas a resposta encontramos aqui:
"Uma tarde, levantou-se Davi do seu leito e andava passeando no terraço da casa real; daí viu uma mulher que estava tomando banho; era ela mui formosa…” (2 Samuel 11:2).
O erro foi Davi ter olhado para ela? Sim, mas não foi o erro mais grave, isso apenas concluiu este acontecimento. O erro mais grave foi ele não estar com os outros guerreando as guerras de Deus, pois já no início deste capítulo, lemos que: “Decorrido um ano, no tempo em que os reis costumam sair para a guerra, enviou Davi a Joabe, e seus servos, com ele, e a todo Israel, que destruíram os filhos de Amom e sitiaram Rabá” (2 Samuel 11:1).
Por que Davi não foi com eles batalhar? Por que deixou apenas seus servos guerrearem? O fim drástico dessa atitude, vemos no desenrolar deste capítulo. É sútil. Apenas um descuido que pode ser amargo como fel.
Mas Deus não perdoou Davi? Claro que sim, ele se arrependeu de coração e o Senhor o perdoou. Mas esse erro trouxe duras consequências: nunca mais a espada se apartou da casa de Davi (2 Samuel 12:10).

Ao tirarmos por um momento os olhos do Senhor, somos expostos a tantos e tantos perigos, tantos lugares perigosos, tantas conversas comprometedoras… Por isso devemos estar atentos a voz do Senhor. É Ele quem deve nos dirigir, e é Ele quem pode nos guiar na verdade.   
Vamos nos afastar desses lugares, nos afastar de tudo aquilo que nos tira do foco.
Há uma batalha sendo travada a questão é: quem queremos ser? As vítimas ou os guerreiros armados de Deus?
A reposta não é com nossas palavras, mas sim com nossas atitudes mediante nosso temor, sinceridade e dependência para com Deus! 
Como podemos então saber por onde devemos andar? A Palavra do Senhor fala por si mesma. Ela nos aponta o caminho, ela nos mostra de onde devemos nos afastar, quando devemos ficar, até quando precisamos permanecer. E a oração nos aproxima mais e mais da verdade de Deus, assim, quanto mais buscamos estar em Sua presença, menos exposições ao perigo espiritual nossa vida corre. 

“Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e, luz para os meus caminhos” (Salmos 119:105).

Um comentário:

  1. Post inspirado por Deus, Keila! Quantas vezes a destruição vem às nossas vidas simplesmente porque dedicamos nosso tempo à distrações e não a buscar a presença de Deus! Que a igreja de Cristo acorde!

    ResponderExcluir